Dia da Consciência Negra, muito além de uma simples data

20 de novembro comemora-se o dia da Consciência Negra. No Brasil a data representa a luta contra a discriminação racial e igualdade social. Este dia escolhido pois ficou marcado como a morte de Zumbi dos Palmares. Ele foi o último dos líderes do Quilombo dos Palmares durante o período colonial. Apesar de ter nascido livre, ele é filho de escravos e lutou para a libertação dos negros até sua morte.

Em 1695, com 40 anos, Zumbi foi assassinado por um capitão. Ele foi decapitado e sua cabeça levada para Recife onde ficou exibido em praça pública.

A celebração da Consciência Negra relembra a importância de refletir sobre a posição dos negros na sociedade, pois mesmo depois da abolição da escravidão, nossa sociedade ainda é preconceituosa e por muitas vezes os trata como inferiores ou não dignos de estar em determinadas posições de poder.

E a história toma outra posição, pois dados de pesquisas revelam que a cada 23 minutos um jovem negro é assassinado no país. Muito das vezes sem ter passagem pela polícia e muito das vezes está somente exercendo seu direito de ir e vir livremente nas ruas do país.

A cada quatro pessoas mortas pela polícia, três são negras

Nas universidades brasileiras

Apenas dois por cento dos alunos são negros

A cada quatro horas, um jovem negro morre violentamente em São Paulo

Capítulo 4, Versículo 3 – Racionais MC’s

No dia 9 de janeiro de 2003, a Lei Federal 10.639 instituiu o “Dia Nacional da Consciência Negra”, no calendário escolar. Assim, o ensino da cultura afro-brasileira passou a fazer parte do currículo escolar em todo o país.

Precisamos sim dessa data, precisamos da conscientização da sociedade conhecer e reconhecer a história de luta que os negros carregam séculos atrás de séculos. Temos uma dívida história e presente.

 

 

 

 

Deixe uma resposta