Magnetite traz vigor e renovação para rock nacional

magnetite
Lançado em agosto, magnetite não é obra definitiva mas mostra possiveis seguimentos que a scalene pode tomar quanto a musicalidade

 

Por Lucas Gabriel MH

Lançado no mês passado , Magnetite, é o terceiro álbum de estúdio da Scalene. Banda brasiliense que honra fielmente a terra de onde surgiram bandas clássicas do rock nacional como Legião Urbana, Plebe Rude e Capital Inicial.

Com um rock energético, impactante e de muita personalidade, abrem os trabalhos com a canção ‘extremos pueris’, fazendo uma crítica direta a atual situação política do país.

Algo que a algum tempo vem ganhando força novamente no mercado fonográfico nacional.

As guitarras presentes nessa música fazendo lembrar  as bandas de punk dos anos 90 com uma bateria eletrizante e o uso extensivo de distorções e efeitos como o Reverb e o Chorus.

img-688397-banda-scalene20150807141438967230.jpg
Com 8 anos de estrada, Scalene já coleciona histórias e sucessos na carreira

Outra música que se destaca é a faixa ‘ponta do anzol’ que nos coloca com uma leve sensação de estar em um espetáculo de circo por conter uma composição melódica bem ao fundo, similar as músicas de circo.

O interessante de ‘ ponta do anzol’ é que de forma sutil e leve, a Scalene conta a história de alguém pelo qual não cita se quer o nome mas que provavelmente fez algum papel de palhaço por acreditar demais e fazer escolhas erradas. Fazendo total ligação com a melodia circense.

‘Cartão postal’ talvez seja a música mais linear do disco, trazendo um som mais enxuto e sem as famosas distorções que a Scalene curte um tanto a introduzir em suas canções.

scalene.jpg

Já a faixa ‘Maré’ pode ser denominada como muitos estudiosos do mercado fonográfico dizem, como aquela que serve como um quebra-mar ou indo direto ao ponto, a responsável por trazer a calmaria e prepara o ouvinte para uma pancada sonora.

O que me chamou bastante a atenção nessa música foi a grande similaridade com as canções produzidas por Cazuza em sua fase mais ligado à Mpb.

Com letra reflexiva e melodia introspectiva, é do tipo de música que se deve escutar para relaxar.

2oam156pod9b2qqlvgprkwvp0.jpg

o design do disco

Um dos principais fatores para que a música nos dias atuais seja consumida e tocada à exaustão é a capa do trabalho. Sim, foi isso mesmo que você leu.

Com o crescente número de ofertas de novos artistas e bandas dentro de aplicativos voltados para o streaming de música. Ter uma imagem atraente e colorida em alguns casos, pode atrair muitos fãs. Afinal, assim como no ramo da alimentação em grande parte das vezes somos induzidos a comprar algum produto devido a sua bela aparência. No Spotify por exemplo somos levados a escutar uma música graças primeira ao algoritmo de gostos utilizados por eles e em segundo lugar a capa do single que por ser atrativa induz o ouvinte a apreciar sua obra.

Por isso acredito que a equipe pela qual os assessora neste aspecto tenha acertado de mão cheia neste quesito.

Com tons de vermelho e fotografias envolventes e simulando as texturas de uma larva de vulcão. Magnetite é o tipo de disco que consegue o mais inédito em dias como os quais estamos vivendo. Pois ele consegue ser bom por dentro e por fora, com riqueza de detalhes tanto nas letras quanto na questão melódica, harmônica e gráfica.

Para curtir

Após essa breve análise, espero ter conseguido passar tudo que senti com a mais sincera riqueza de detalhes quanto a esta obra. E para curtir um pouco mais do som dessa banda de rock nacional, segue logo abaixo as canções analisadas por nós.

 

450xN
Link para comprar o disco : https://goo.gl/NvQi5f

Deixe uma resposta